LuMoraes

"Me encante com uma certa calma, sem pressa. Tente entender a minha alma". Pablo Neruda

Textos


 
(Imagem Google)

Despertar da Consciência...
 
 

    E viveram felizes para sempre....
                         Fim



A ficção nada tem a ver com a realidade, pensava Vanessa, ao fechar o livro de história infantil que lia para as netinhas Sofia e Karina, que agora dormiam tranquilamente com um sorriso nos lábios, talvez sonhando com o mundo de fantasias, princesas, príncipes e castelos da história que a avó acabara de contar-lhes.

Vanessa deu um beijo no rostinho de cada uma das meninas e saiu do pequeno quarto, fechando cuidadosamente a porta atrás de si. Sentou-se num canto da sala escura e pôs-se a pensar sobre a sua vida e o que fizera dela...

Era uma mulher de meia idade, nos seus quarenta e sete anos, divorciada há cinco anos e desse casamento teve uma filha, Ana Paula, uma moça desajuizada, de temperamento difícil, rebelde, despreparada para a vida, e com duas filhas para criar, de pais diferentes, com os quais havia se envolvido sem nem mesmo ter uma relação estável. O relacionamento entre mãe e filha também nunca foi saudável, por completa incompatibilidade de gênios  e somente vislumbrou-se uma leve possibilidade de entendimento depois que Vanessa conheceu Miguel.

Miguel era um homem comprometido, vivia harmoniosamente com Luciola, sua segunda esposa, embora não oficialmente, e seu amigo e companheiro Luigi, um Lhasa Apsou, que o acompanhava há dez anos. Um homem maduro, experiente, vivido, gentil, generoso, com uma situação financeira confortável, mas carente de amor filial, pelos reveses da vida.  Em sua extensa vida de viajante, devido ao cargo que ocupava num órgão federal, teve muitos relacionamentos, sem envolvimento sério, até conhecer Luciola e fixar residência com ela.

Era, porém, um homem apaixonante e foi, fatalmente, envolvido pela teia perigosa da atração e seduzido pelo perigo....Vanessa era uma mulher de traços e beleza comuns, assim como a história da sua vida, de retirante, que vai para a cidade grande tentar a sorte com toda a família, fugindo dos infortúnios, mas, ardilosa e pretensiosa. A vida de Miguel, a partir daí, sofreu uma rotação de trezentos e sessenta graus quando pensou que valeria a pena uma pequena aventura, sem consequências maiores.

Levado pelo instinto masculino da conquista, acreditou ser aquela mais uma aventura, mas, dessa vez caiu nas teias de Vanessa, comovido com sua história de vida,  a ponto de  oferecer-lhe uma vida mais aprazível, diferente daquela que ela vivia desgraçadamente com os pais, com os quais voltou a morar, pois, da separação do marido nada lhe restou a não ser as roupas  e outros poucos pertences.

Aquela era uma oportunidade única que Vanessa encontrou para resolver todos os seus problemas, da sua família e os da filha, que também viu naquela relação uma maneira de tirar proveito da situação, uma vez que o “potencial padrasto”  se propusera a dar-lhe total assistência financeira. Ana Paula não se fez rogada e aceitou que Miguel assumisse as despesas de aluguel do apartamento no qual foi morar com as duas filhas, uma vez que a convivência com a mãe era insuportável e na casa dos avós não havia espaço suficiente para ela com as crianças. Miguel se sentia útil fazendo o papel de segundo pai de Ana Paula, já que o biológico lhe negara os recursos necessários, e era a ele que ela sempre recorria quando tinha qualquer tipo de problema, principalmente financeiro. Ana Paula sabia que o ponto fraco de Miguel era a carência de amor dos filhos e fazia tudo para preencher esse espaço vazio, de maneira premeditada, para merecer as recompensas.

Luciola, a segunda esposa, por sua vez,  amava Miguel mas não conseguiu demovê-lo da decisão de terminar o relacionamento e quando ele partiu, sabia que ele iria trilhar um caminho tortuoso mas necessário para sua evolução e se ele um dia voltasse, com certeza seria de corpo e alma, inteiro, completo.
.

Vanessa, porém, não amava Miguel. Apesar de suas qualidades e da possibilidade de viver uma vida segura com ele, havia uma diferença muito grande de idade entre eles e ela se sentia desconfortável ao sair com ele nas ruas, quando as pessoas olhavam aquele casal,  que mais parecia pai e filha, e faziam comentários maldosos. Por não existir amor da parte de Vanessa, a diferença visível de idade a incomodava terrivelmente e ainda mais quando tinha que corresponder aos carinhos dele.

Miguel, apesar da idade avançada, era extremamente sexual e Vanessa o repelia quando que lhe era possível fazê-lo, distanciando-o, sempre inventando pequenas e grandes mentiras envolvendo a mãe, a filha , o trabalho como professora, os problemas de casa, enfim, tudo era motivo para não cumprir o seu papel de companheira como deveria ser, embora Miguel tivesse passado a assisti-la financeiramente, fazendo-lhe todas as vontades.

Quando Miguel reclamava da frieza do comportamento de Vanessa, ela se desmanchava em carinhos e cuidados e, muitas vezes, simulava arrependimento com cenas e crises de choro, o que o sensibilizava, sucumbindo aos seus caprichos, perdoando-lhe todas as faltas, mal sabendo que tratava-se de dissimulação. Sim, Vanessa era dissimulada, aproveitadora, interesseira e consumista e os dois viviam se enganando cada qual tentando resolver a própria situação da melhor maneira para si mesmo. A companhia de Vanessa fazia bem ao ego de Miguel, que se sentia privilegiado e mais jovem, por desfilar com uma mulher com quase a metade da sua idade e ela, por sua vez, era recompensada pelos polpudos depósitos na sua conta bancária.

O casal não morava junto, por própria imposição de Vanessa, o que gerou despesa extra para Miguel, mas a situação para ela era confortável, uma vez que não queria assumir compromisso com ele, ainda que o tivesse pressionado a comprar alianças e ficado noivos, como forma de prendê-lo mais a ela.

Outro agravante era que ela já pressentia que ele iria precisar de alguém para ajudá-lo nas tarefas mais difíceis, uma vez que a idade já comprometia a sua saúde e isso a apavorava. Ela, decididamente, não tinha paciência e maturidade para isso. Por outro lado, pela ordem natural das coisas ele, provavelmente, viveria menos que ela e, em circunstâncias normais, ela ganharia a tão sonhada pensão dele, mas as mudanças na previdência social fizeram com que ela abandonasse os seus projetos, pois ela receberia, por lei,  apenas metade do lhe seria de direito e por tempo determinado, o que a fez postergar o casamento por várias vezes, até que ele não falou mais sobre o assunto. Isso a fez sentir-se mais segura e decidiu que aproveitaria os benefícios que Miguel lhe oferecia pelo tempo que lhe fosse possível.


A situação tornou-se caótica a ponto da família de Miguel interferir na relação, uma vez que ele já estava inadimplente, com vários financiamentos bancários comprometendo a sua renda, levando-o a ficar sem crédito e, consequentemente,  impossível de honrar seus compromissos  financeiros.

Com o tempo, porém, Miguel foi se cansando daquela situação constrangedora em que se encontrava, com os problemas da nova família que ele assumiu como se fosse dele, exigindo solução para tudo, principalmente no âmbito financeiro, já além das suas possibilidades.

Miguel tinha muita afinidade com o futuro sogro e a enteada, mas não sentia reciprocidade em relação ao amor que achava que sentia por Vanessa e sua saúde já exigia certos cuidados que ela fingia ignorar e se recusava terminantemente a apoiá-lo quando ele necessitava da sua atenção. Isso ficou evidente quando ele sofreu uma intervenção cirúrgica e Vanessa inventou mil desculpas para não acompanhá-lo, nem sequer foi visitá-lo no hospital, nem mesmo durante a sua convalescença, período em que ficou na casa de uma das filhas. Nesse período, Miguel teve muito tempo para refletir sobre a sua vida e o que estava fazendo dela.

 
Então, a vida estava dando a Miguel outra oportunidade, a de tomar outro rumo e, se ainda lhe fosse permitido, faria tudo diferente e tentaria recuperar o tempo perdido.
 
Foi com  surpresa, satisfação e alegria que Luciola abriu a porta para que Miguel entrasse com o pequeno Luigi, que abanava o rabinho comemorando o retorno à sua casa. Jogando a pequena mala no chão, Miguel tinha as mãos livres para abraçá-la e poucas palavras para dizer pois seus olhos marejados de lágrimas diziam tudo o que sua alma sentia...Luciola entendeu...e retribuiu o abraço e o longo beijo, fazendo desnecessárias as palavras embargadas pela emoção.
 
Miguel, ao tomar aquela decisão, havia ligado para Vanessa e terminado  a relação. Como já era de se esperar, a moça se desmanchou em dengos, cenas de choro e terminou dizendo que o amava. Miguel não acreditou, apenas se despediu cortesmente sentindo muita pena daquela alma pequena que não sabia o que era realmente o amor.
 
Vanessa, então, percebeu que era hora de se retirar de cena e recolheu-se à sua insignificância, reconhecendo que havia perdido naquele jogo. Visualizava, agora, um futuro de privações mas o tempo que lhe foi possível ao lado de Miguel, havia lhe dado um certo conforto, embora passageiro.

Miguel encontrou sua verdadeira essência ao lado de Luciola, que perdoou a sua fragilidade e nunca desistiu do seu amor. Sempre acreditou que um dia poderiam continuar de onde pararam, sem alarde, sem perdas, apenas ganhos de experiência e fortalecimento de seus sentimentos. O amor que os havia unido agora se renovava com os votos do casamento.

O passado não importava aos dois, fora só uma experiência infeliz. Pseudo amores terminam assim, pensava Miguel...morrem quando a chama da paixão se apaga com a borracha do esquecimento.

 
Sim, Miguel estava certo: Vanessa já não fazia parte nem do seu passado, pois, com o passar do tempo, Deus o presentou com o esquecimento desse lamentável episódio da sua vida, pois a síndrome demencial que o acometeu, afetou-lhe as habilidades devido a perda de suas funções cognitivas( o Mal de Alzheimer caracteriza-se por demência ou perda de funções cognitivas, como memória, orientação, comportamento, linguagem e cálculo, causada pela morte de células cerebrais). 

Vanessa voltou às origens, agora com uma carga maior, a do peso da escolha, pois a ela também coube a responsabilidade de cuidar das netas para que a filha pudesse trabalhar, revezando os horários  das suas aulas particulares, que teve que retomá-las para viver.  Mãe e filha, apesar de não terem afinidades,  passaram a conviver mais juntas, agora com seus próprios recursos.

Por um longo tempo essas cenas passaram pela mente de Vanessa, sentada naquele canto da sala, e lágrimas rolaram pelo seu rosto, lágrimas de arrependimento e de saudade...arrependimento por saber-se causadora da quase decadência de Miguel, de ter sido o pivô da separação dele com Luciola e saudade de um tempo que não viveu em sua plenitude por não reconhecer a verdadeira felicidade com ele...mas agora era tarde para o despertar da sua consciência!
♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦

"É incrível o que as pessoas fazem por amor, mas é inacreditável o que algumas fazem por dinheiro".
 
♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦




 
Obrigada pelo acesso. Deixe o seu comentário
para que eu possa retribuir o carinho da sua visita.






http://www.luciamoraes.prosaeverso.net
 
Lucia Moraës
Enviado por Lucia Moraës em 01/06/2019
Alterado em 05/06/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras