LuMoraes

"Me encante com uma certa calma, sem pressa. Tente entender a minha alma". Pablo Neruda

Textos


(Imagem Google)



Entre o Crepúsculo e a Alvorada



A noite se aproxima, sou toda emoção.
Vejo com olhos de poeta a magia
que se descortina na imensidão.
Apenas observo, encantada, a natureza
que me presenteia com esse lindo cenário:
a noite chega, mansamente, toda faceira,
e parece flertar com o crepúsculo,
silenciosamente, acima da montanha,
onde o sol se esconde e dá lugar à lua.
A lua, com seu esplendor, é pura magia
um momento lindo, único de manifestação
do Universo, um convite aos amantes apaixonados
e aos poetas, a contemplação de um espetáculo
que transforma-se em suprema inspiração.
A uma estrela cadente que atravessa o céu, peço:
nesta noite quero fazer-te meu,
para eu compor uma poesia que relembre
a verdade escondida nos olhos teus.
Se ela me atender, querido, direi ao teu ouvido
ternas palavras, em versos, ou entoarei um hino
em serenata, que falará do meu amor genuíno.
Quero transformar em séculos, nossas horas,
minutos e segundos, para fazer qual o crepúsculo
e a noite que se fundem em união sublime.
Entre o crepúsculo e a alvorada,
quero, contigo, viver um sonho bom
como amantes sonhadores,
nos tocarmos em êxtase,
falarmos de todo o nosso desejo,
aquecendo-nos, no calor de nossos beijos,
na paixão que envolverá nossos corpos ardentes
...até que a noite chegue novamente.





Obrigada pelo acesso. Deixe o seu comentário
para que eu possa retribuir o carinho da sua visita.



 
Lucia Moraës
Enviado por Lucia Moraës em 30/08/2019
Alterado em 06/10/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras